main

Universo Gedore

O sistema Rotband-Plus aumenta até 5 vezes a resistência dos martelos Gedore. Veja como.

14 de fevereiro de 2017 — by Ferramentas Gedore

Martelos (e marretas) são tão importantes que a Gedore tem em seu grupo uma fábrica na Alemanha especializada na fabricação desses produtos. É a linha Habero, que possui a patente nº 0703045 (Europa) de um sistema inovador de fixação da massa dos martelos.

Esse sistema é chamado de Rotband-Plus e consiste na fixação da cabeça no cabo através de uma cunha de aço, uma arruela de fixação e um parafuso que, montados, formam uma única peça.

Com a proteção metálica e o sistema de fixação da cabeça com cunha, arruela e parafuso no martelo Rotband-Plus, a resistência do cabo é superior à dos demais martelos padrão DIN. De acordo com relatório do VPA – Instituto de Análise e Testes em Ferramentas de Remscheid
(Alemanha) – os martelos ROTBAND-PLUS atingiram uma força aplicada CINCO vezes superior em comparação aos demais martelos. Tudo isto aumenta a segurança do usuário e a durabilidade da ferramenta.

Esse sistema especial prolonga bastante a vida útil do martelo e protege a sua região mais frágil, além de evitar acidentes de trabalho. Confira abaixo os componentes que protegem o cabo e a cabeça do martelo:

image

Universo Gedore

Uma breve história do alicate!

25 de dezembro de 2016 — by Ferramentas Gedore

cards_setembro-80

 

Vamos conhecer uma breve história do alicate? Não são muitas as fontes que explicam exatamente como essa ferramenta surgiu.

Uma das ferramentas mais comuns, presente nas casas de muita gente e companheiro fiel para reparos, o alicate surgiu na Europa, em cerca de 2000 a.C. com o objetivo de agarrar objetos quentes, como ferro fundido e desentortar flechas. O próprio Homo Sapiens acabou se inspirando em um de seus rivais, que tinha uma mandíbula mais avantajada e a usava para pegar coisas, para criar uma ferramenta. Com o tempo, outras civilizações, como os árabes, também produziram suas versões da ferramenta que parece abocanhar objetos. Dando um salto na história, com a Revolução Industrial na Inglaterra em 1775, vamos conhecer o jovem escocês, do clã dos Allicaster, o Sr. James Watt, grande inventor da época, que desenvolveu a técnica da máquina à vapor, construindo vários equipamentos com a nova tecnologia, substituindo a força humana pela força de máquinas. O Jovem Mac Allicaster, tornou-se um grande industrial do ramo de ferramentas, tendo como grande sucesso de vendas, os alicates fabricados por ele.

Os diferentes tipos de alicates surgiram juntamente com a invenção de diferentes objetos nos quais são usados como ferraduras, abraçadeiras, cabos, canos,componentes elétricos e eletrônicos, entre outros.

Universo Gedore

Você sabe se conectar com o cliente na época de Natal?

14 de dezembro de 2016 — by Ferramentas Gedore

cards_setembro-78

Os primeiros enfeites e luzinhas já começaram a aparecer. Em pouco mais de um mês, o Natal vai dominar o dia a dia das pessoas e das empresas. Só com compras de presentes, o Natal deve injetar R$ 50 bilhões na economia, segundo uma pesquisa da SPC em parceria com a Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL).

A pesquisa diz ainda que os brasileiros devem gastar, em média, R$ 465,58, com quatro presentes. “Não teremos um Natal muito efusivo, em função de tudo que está acontecendo na economia. O ano passado já não foi um ano muito bom e a gente imagina um cenário semelhante em 2016”, diz Silvio Laban, coordenador dos cursos de MBA do Insper.

Mesmo assim, continua sendo um período do ano em que as pessoas fazem compras. Um dos motivos é a injeção de capital promovida pelo pagamento do 13º salário. “Ainda é uma época bem propícia para gastar dinheiro”, diz Cássio Ferraro, consultor de negócios do Sebrae-SP.
Para o comércio, já está na hora de se preparar. Por isso, Laban e Ferraro dão dicas para faturar mais nas vendas de final de ano.

1. Reveja os custos
O momento de crise exige que os empreendedores pensem em eficiência. O primeiro passo para que as vendas do Natal sejam vantajosas é rever os custos e a negociação com os fornecedores. “Aproveite esse momento para pensar em produtividade e repensar a forma como as coisas são feitas. Quando vem crise, a gente sempre acaba descobrindo que tem gordura e dá para cortar”, diz Laban.

2. Entre no clima
A decoração ainda é muito importante para conquistar os consumidores. “É importante investir no ponto de venda e na animação da equipe para trazer mais gente para o ponto de venda e aumentar a chance de conversão”, diz o professor. Nas lojas virtuais, a regra também se aplica. “Não adianta vender online e seu site não ter informação, ser poluído. Tem que ser organizado, com as informações corretas para facilitar a decisão do consumidor”, afirma Ferraro.

3. Treine a equipe
Mesmo que sua loja não contrate funcionários temporários, é importante treinar a equipe antes das vendas. Explique a situação do país e que tipo de consumidor os vendedores podem esperar. “Isso é imprescindível para poder vender melhor. As pessoas não sabem o que vão comprar, por isso, ter uma equipe capaz de dar dicas é super importante”, diz Ferraro.

4. Foco na conversão
Para Laban, o foco na conversão pode ser a chave para vender mais. “Dado que vai entrar menos gente na loja, o lojista precisa ter certeza que vai converter todas que entrarem. Isso se faz não só com produto e preço, mas com atendimento”, diz Laban. Uma dica é criar um ambiente e aconchegante, que não lembre o cliente das más notícias em relação ao país. “Como se a loja fosse um lugar para descomprimir desse contexto”, diz.

Outra dica para converter a venda é conhecer as necessidades do cliente e o estoque. “É importante o vendedor tentar interagir com ele para entender o que ele gosta e indicar a coisa certa. Quanto mais informação, mais o cliente vai querer comprar”, diz Ferraro.

5. Pense em produto, preço e prazo
Ter um sortimento de estoque bem planejado é indispensável. Não compre itens que demoram para sair ou que possam ficar velhos depois do Natal. “Pense no Natal do ano passado para compor o estoque”, diz Ferraro. Uma sugestão, do consultor do Sebrae-SP, é organizar a loja em faixas de preço ou tipos de presentes. “Faça sugestões de compras, separando por gênero e valor. É uma boa estratégia para converter os clientes que buscam presentes de amigo secreto”, diz. Com dinheiro mais curto, vale ter um sortimento com preços mais acessíveis e condições de financiamento.

Fonte: Revista Pequenas Empresas & Grandes Negócios